MENU

1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 |

Livro: Hadassah - Ester Cap: 3

1 Depois destas coisas o melech Assuero engrandeceu a Hamã, filho de Hamedata, o agagita, e o exaltou, pondo-lhe o assento acima dos de todos os príncipes que estavam com ele.
2 E todos os servos do melech que estavam à porta do melech se inclinavam e se prostravam perante Hamã, porque assim ordenara o melech a seu respeito: porém Mordekai não se inclinava nem se prostrava.
3 Então os servos do melech que estavam à porta do melech disseram a Mordekai: Por que transgrides a ordem do melech?
4 E aconteceu que, dizendo-lhe eles isso dia após dia, e não lhes dando ele ouvidos, o fizeram saber a Hamã, para verem se o procedimento de Mordekai seria tolerado; ele lhes tinha declarado que era Yehudi.
5 Vendo, Hamã que Mordekai não se inclinava nem se prostrava diante dele, encheu-se de furor.
6 Mas, achou pouco tirar a vida somente a Mordekai; porque lhe haviam declarado o povo de Mordekai. Por esse motivo Hamã procurou destruir todos os yehudim, o povo de Mordekai, que havia em todo o malchut de Assuero.
7 No primeiro mês, que é o mês de nisã, no ano duodécimo do melech Assuero, se lançou Pur, isto é, a sorte, perante Hamã, para cada dia e para mês, até o duodécimo, que é o mês de adar.
8 E Hamã disse ao melech Assuero: Existe espalhado e disperso entre os povos em todas as províncias do teu malchut um povo, cujas toratot são diferentes das toratot de todos os povos, e que não cumprem as toratot do melech; pelo que não convém ao melech tolerá-lo.
9 Se bem parecer ao melech, decrete-se que seja destruído; e eu pagarei dez mil talentos de prata aos encarregados dos negócios do melech, para os recolherem ao tesouro do melech.
10 Então o melech tirou do seu dedo o anel, e o deu a Hamã, filho de Hamedata, o agagita, o inimigo dos yehudim;
11 e disse o melech a Hamã: Essa prata te é dada, como também esse povo, para fazeres dele o que bem parecer aos teus olhos.
12 Então foram chamados os secretários do melech no primeiro mês, no dia treze do mesmo e, conforme tudo, quando Hamã ordenou, se escreveu aos sátrapas do melech, e aos governadores que havia sobre todas as províncias, e aos príncipes de todos os povos; a cada província segundo o seu modo de escrever, e a cada povo segundo a sua língua; em nome do melech Assuero se escreveu, e com o anel do melech se selou.
13 Entiaram-se as cartas pelos correios a todas províncias do melech, para que destruíssem, matassem, e fizessem perecer todos os yehudim, moços e velhos, crianças e mulheres, em um mesmo dia, a treze do duodécimo mês, que é o mês de adar, e para que lhes saqueassem os bens.
14 Uma cópia do documento havia de ser publicada como decreto em cada província, para que todos os povos estivessem preparados para aquele dia.
15 Os correios saíram às pressas segundo a ordem do melech, e o decreto foi proclamado em Susã, a capital. Então, o melech e Hamã se assentaram a beber, mas a cidade de Susã estava perplexa.


Comentários:

ID Passagem

_______________________________